quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

"Poema do mês" na revista Mais Educativa - janeiro/ fevereiro 2014

O aluno Ricardio Silva, do 12º ano do Curso de Ciências e Tecnologias, da nossa escola, escreveu um poema para celebrar o mês dedicado ao amor. Este poema foi publicado na revista Mais Educativa.

Leve como o luar

Leve como o luar,
Resplandecente como o sol,
Busco por ti
Como um marinheitro pelo farol.

Sinal de terra firme
És a minha segurança neste imenso mar:
Proteges o meu coração
De todo este ondular.

Ondular que lembra a ti,
Sorrindo na partida,Para longe de mim tu foste
Para longe de mim tu foste
Mas sinto-me tão perto da minha vida!

Ah, saudades!
Saudades do teu olhar,
Saudades do teu sorriso,
Saudades de te abraçar ...

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Amor em poesia


Só um Mundo de Amor pode Durar a Vida Inteira


Há coisas que não são para se perceberem. Esta é uma delas. Tenho uma coisa para dizer e não sei como hei-de dizê-la. Muito do que se segue pode ser, por isso, incompreensível. A culpa é minha. O que for incompreensível não é mesmo para se perceber. Não é por falta de clareza. Serei muito claro. Eu próprio percebo pouco do que tenho para dizer. Mas tenho de dizê-lo.
O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama.(...)
Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e (...) entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.
Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensão, farto de conveniências de serviço. (...)
O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem. Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir. A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não.
Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.


Miguel Esteves Cardoso, in 'Jornal Expresso'




O amor é
um nome de mulher
na boca de um homem.

O amor é
uma flor perfeita
na lapela de um homem só.

O amor é
um continente sem fronteiras
para que tudo aconteça.

O amor é
a alegria do corpo
sem vergonha de amar.

O amor é
dividir somente
o que se pode partilhar.

O amor é
uma cidade azul
no dorso de uma nuvem.

O amor é
um rapaz loucamente
apaixonado por uma rapariga.

O amor é
tão fácil e tão simples
que até se torna difícil.

O amor é
tudo aquilo que um dia
ganhamos coragem para ser.

O amor é
gostarmos de nós
e sabermos porquê.


José Jorge Letria


Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

Tudo no mundo é frágil, tudo passa..."
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
"Ah!  Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio  e fim!..."


Florbela Espanca


É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!"


Cecília Meireles

sábado, 1 de fevereiro de 2014

OUVIR POESIA

O Clube de Leituras convida-nos a ouvir poesia.
É com prazer que aceitamos este convite e ouvimos o poema "Com Palavras" de Manuel Alegre.


 


Com palavras se fazem coisas
Com elas se desfazem.
As palavras não decifram 
são enigmas 
matéria escura 
luminosa.
Com palavras se navega.
Com palavras se naufraga.

Com  palavras.


                Manuel Alegre